“Vamos tirar o Polivalente da UTI”, promete novo diretor Bera

22-05-2011 23:03

Novo diretor do CE Joana de Freitas Barbosa apresenta propostas para dirigir maior e mais representativa escola da rede pública no Baixo São Francisco

Por Claudomir Tavares | claudomir21@bol.com.br

Aconteceu na última quarta-feira, 18/05, reuniões do novo diretor do Colégio Estadual Joana de Freitas Barbosa, professor Robério da Silva, na cidade de Propriá, distante 98 km da capital, com estudantes daquela unidade de ensino. Presentes professores que se encontravam ministrando aulas em cada um dos turnos, funcionários, coordenadores, onde na oportunidade conheceram as propostas de Bera para dirigir a maior e mais representativa instituição de ensino do Baixo São Francisco.

Ao longo dos últimos oito anos, foi a primeira vez que um diretor reuniu-se abertamente com a comunidade escolar, se dirigindo de forma clara, unificando o discurso de como será pautada a sua conduta de gestor de uma unidade de ensino que passa por sérios problemas de ordem administrativa, pedagógica, de disciplina, enfim, é como definiu Bera, “um paciente na UTI e que precisava de um cirurgião para retirá-lo de lá”, disse. “Eu tenho certeza de que com a colaboração de todos serei este cirurgião”, completou.

Bera iniciou apresentando sua trajetória profissional, de alguém que nunca cansou de enfrentar os problemas, adversidades, perseguições, de quem não se intimida com as posições pessimistas. Disse que antecipou aquele rosário de reuniões em função de atos terroristas como o lançamento de bombas de fabricação caseira no dia anterior e que, depois de identificados os bandidos responsáveis pelo ato criminosos, estes seriam punidos exemplarmente na forma da lei.

Quinta tentativa – Em seguida o novo diretor disse da campanha contrária a sua nomeação para diretor tanto daquela escola (por três vezes) e da DRE-06 (por duas vezes), chegando inclusive a ter sua portaria rasgada por um ex-deputado. “Mas agora estou tendo a oportunidade de dirigir uma instituição na minha cidade”, desabafou. “Não estou aqui para perseguir ninguém, pois sou uma vítima de perseguições, mas serei um amigo, um colega para defender aqueles que tenham compromisso com a instituição”, emendou.

Esporte – A partir daí Bera passou a apresentar suas propostas, como celebrar convênios com o Clube Sportivo Sergipe para instalar a primeira escolinha de futebol do interior do estado daquele clube tantas vezes campeão, na cidade de Propriá, “sem nenhum custo para o Polivalente”, revelou. “Da mesma forma, vamos celebrar convênio com a AABB para utilização da piscina daquele clube para prática da natação por atletas que tiverem aptidão para a prática deste esporte”, acrescentou.

Vamos propor a criação da Horta Comunitária numa parceria com o Grêmio Estudantil, de forma a possibilitar uma renda extra para a entidade estudantil”, propôs o professor Robério da Silva que ainda prevê convênios com setores do comércio para a instituir o Poli Cartão, que possibilitará descontos para estudantes daquela escola. “Além disso, vamos criar o Poli Saúde”, frisou o novo diretor que está disposto a quebrar todas as resistências iniciais que sua indicação provocou.

Poli Forró – Percebemos junto aos mais diferenciados segmentos que integram a comunidade Polivalente que Bera vai aos poucos quebrando a resistência e caindo no gosto da comunidade, principalmente entre os estudantes, principal elemento que a integra. Bera anuncia para 2012 o retorno do “Poli Forró”, mas como “um evento que ficará marcado definitivamente no calendário cultural do estado, como um dos melhores e maiores forrós de Sergipe”, prometeu.

A Escola vai a Comunidade – Ele defenderá a abertura do laboratório de Informática e a Quadra Poliesportiva a comunidade, desde que o uso dê-se de forma compartilhada e numa partilha de responsabilidades. “Vamos apresentar o Projeto a Escola vai a Comunidade e o Ciclo de Palestras sobre vários temas”, disse. Estas foram algumas das propostas do novo diretor, que pretende transformá-las em projetos, depois de ouvidos os segmentos que compõem o Colégio Estadual Joana de Freitas Barbosa.

Via internet – Durante duas das três reuniões em que estivemos presentes, e que socializamos os resultados da reunião via twitter (https://twitter.com/Claudomir21) alunos, ex-alunos e pessoas da comunidade interagiram. Um destes, o Felipe Barreto (http://twitter.com/phelipefsb) disse que eram “muito boas estas propostas do novo diretor Bera. Sou ex-aluno do Poli e fico muito feliz. Torço prá que dê tudo certo”, disse. “Se tiver @avoesdoforro vão fazer uma estátua de Bera. hehehehe”, brincou.

Não é professor que reprova aluno – Dirigindo-se especificamente aos alunos e estendendo-se aos pais de alunos que só aparecem na escola ao final do ano, isto quando seus filhos reprovam, Bera informou que irá convidá-los a comparecer a escola, “e se estes não comparecer, vamos ao encontro deles, pois não é professor que reprova aluno, e sim o aluno que reprova, ao não cumprir com sua obrigação de aluno”, descreve a relação que deve se dá de forma mais intensa entre escola e comunidade.

Bombas no Poli – Bera finalizou dizendo que “se nossa administração for vitoriosa, ela será de todos nós, da comunidade do Polivalente, mas se ela fracassar, a responsabilidade será toda ela minha”, disse ele chamando a responsabilidade para os desafios que são titânicos. E estes serão, pois quando ele falava, duas bombas explodiam: um artefato que explodia nas imediações do Bloco B e portão de acesso a escola e da falta do professor de Sociologia (não foi citado o nome), compartilhada com centenas de alunos!

Greve do Magistério – Questionado na sala dos professores sobre a posição da direção quanto a greve dos professores que terá início nesta segunda feita Bera disse que foi responsável pelas maiores manifestações ocorridas nos anos 80 em Propriá. “A decisão pela greve foi uma deliberação soberana da categoria, não tenho que me opor, e sim respeitar e acatar os encaminhamentos do Sintese, a quem compete a responsabilidade do movimento”, garantiu.

Desafios menores que disposição de enfrentá-los – Pelo clima da primeira semana, dos desafios e perspectivas, Bera entende ser um grande desafio sua gestão a frente do Polivalente, mas nenhum tão grande quanto sua disposição de enfrentá-los, e a prova desta sua capacidade está em quem dirigiu um presídio de segurança máxima e promoveu ali uma gestão apaziguadora, referência na segurança pública de Sergipe. Este portal que desde o início defende a legitimidade de fato e de direito de Bera torce indisfarçadamente pelo sucesso de sua gestão.

_______________________________________

* Claudomir Tavares (42) é professor concursado da rede pública municipal em Pirambu, estadual em Propriá e do Pré-Universitário (SEED). Licenciado em História, com aperfeiçoamento e especialização em Gestão de Recursos Hídricos (todos pela UFS), especialização em Metodologia do Ensino Superior (Faculdade São Luiz de França) e Mestrando em Gestão Ambiental (Universidad San Carlos).

Comente esta matéria | Clique aqui...

Voltar