Governo de Dilma: ‘Kit-Gay’, ‘Nós vai’ e agora, ‘10-7=4′!

08-06-2011 10:41

As notícias que tomam conta do noticiário nacional revelando as ações do Governo da “presidenta” Dilma Roussef nesse inicio não são nada animadoras. A começar pelo próprio tratamento que ela, a “presidenta” exige. Há uma corrente forte de especialistas que não admite essa expressão. Alguns até afirmam que ela, Dilma, nunca foi uma “estudanta” muito boa.

Na língua portuguesa o seu Ministério da Educação abriu uma polêmica absurda, quando aprovou a publicação de livros contendo erros grosseiros. Quando foi chamado a atenção, veio com uma história que não convence ninguém, nem mesmo os mais fervorosos defensores petistas. Segundo o MEC, afirmações como “nóis vai”, “nóis pega”, ou “a gente vamos” não estariam erradas. Dizem que, como faz parte do contexto da sociedade, não podemos repreender quem fala assim.

Veio também a polêmica do “kit-gay”. Um material didático, fornecido para estudantes do ensino fundamental, ou seja, crianças com idade entre os sete aos 12 anos que assistiriam vídeos, leriam livros a respeito da homossexualidade. No material, o tema é abordado com naturalidade e até mesmo com uma ponta de incentivo. Meninas beijando meninas. Meninos que se apaixonam por meninos e outros que gostam dos dois sexos.

Um episódio mostrado em todas as redes de televisão demonstra a situação dantesca do governo sobre esse tema, que deve ser conversado em família. Um Secretário do MEC, posto graduado, debatendo com especialistas afirma sorrindo que durante um momento da discussão para elaboração do vídeo, os técnicos do MEC “não sabiam até onde a língua da menina entraria na boca da outra menina”.

Agora aparece mais uma pérola do MEC, o ministério responsável pela política de educação dos brasileiros. Num livro publicado pelo Ministério, na operação matemática 10-7 aparece como resultado, o quatro, ao invés do três.

O governo afirma que já está adotando as providências, o que deve resultar na substituição do petista que aprovou tamanho absurdo. Mas, se o outro petista que lhe substituir resolver fazer outro tipo de inovação, quem se responsabilizará pelo estrago?

Além de tudo isso, ainda temos que reviver o famoso filme, com elenco petista, cujo título, “Os homens, e mulheres da Casa Civil no governo do PT”. É verdade que é apenas uma reprise, mas já deveriam ter aprendido que a nação brasileira não suporta mais esse tipo de enredo, onde o dinheiro público é assaltado vergonhosamente, na mão grossa e durante a luz do dia.

Tá na hora da “presidenta” Dilma assumir o governo de fato!

Por Marcos Aurélio | Em Defesa da Cidadania

Voltar