FIQUE DE OLHO: Gilson dos Anjos... por enquanto

23-05-2011 11:41

Engana-se quem pensa que a eleição já está decidida em favor do prefeito Gilson dos Anjos, uma vez que nem este arriscaria em apostar nesta possibilidade

Por Claudomir Tavares * | claudomir21@bol.com.br

Quem conhece a História Política da Barra dos Coqueiros pode testemunhar a dinâmica com que as mudanças e alternâncias do poder se realizam. Nem sempre estar com o poder significa estar no poder, uma vez que o poder na Ilha de Santa Luzia emana verdadeiramente do povo: isso somos indubitavelmente um povo cuja grandeza se manifesta pela livre expressão do voto.

Ilustro com isso as vitórias dos senhores José Mota Macedo (1976), de seu filho Alberto Macedo (1988) e mais recentemente o retorno de Gilson dos Anjos (2008), todos enfrentando a “poderosa” máquina municipal, colocada desaforadamente a serviço do candidato chapa branca: o povo respondeu com o voto, mostrando que diferente do que pensavam, os barracoqueirenses podem cometer equívocos, não se vendem, nem se rendem.

Os equívocos podem ser ilustrados no retorno de ex-prefeitos, como fez com Natanael Mendes Moura e Gilson dos Anjos (DEM). Mas se assim o fez, teve motivos para fazê-lo, pelo que estes representaram no passado: Natanael foi um combativo vereador do MDB de Zé Carlos Teixeira e Gilson dos Anjos filho do eclético político Zé de Sato (ARENA), forças políticas que polarizaram a vida política sergipana (e brasileira) nos anos 70. Alberto Macedo (PRTB) não retornou a prefeitura, mas assegurou uma cadeira na Câmara de Vereadores de onde pretende alçar vôos mais altos, possivelmente de candidato a vice-prefeito.

Airton Martins, um vereador de vários mandatos conseguidos a base do assistencialismo e que pelas vias de circunstâncias elegeu-se (2004) e não conseguiu reeleger-se (2008) prefeito não é um caso a desconsiderar, mas esbarra-se em suas próprias contradições: nunca foi petista de fato (apenas de direito) e cometeu irrecorríveis equívocos, distorções, que desqualificam sua condição de candidato nato do PT em 2012. Não é o nome de preferência do governador Marcelo Déda Chagas.

Gilson dos Anjos, um político habilidoso, o primeiro a ser reeleito e em um terceiro mandato, algo ímpar na Ilha dos Coqueiros, sabe das dificuldades que terá em seu projeto de reeleição. Sabe que a vitória de João Alves Filho (DEM) em 2010 na Barra dos Coqueiros não pode (nem deve) ser atribuída a ele, uma vez que esteve ausente de sua campanha, que fora coordenada pelo ex-vereador Valdomiro Tavares (o Bode), presidente municipal do Democratas.

É o próprio ex-governador quem reconhece isso na avaliação da eleição, pois sua vitória na grande Aracaju foi um recado ao governador reeleito Marcelo Déda e a sua cria que administra a capital, o “comunista” (?) Edvaldo Nogueira Filho (PCdoB). Gilson então precisava encontrar outra tábua de salvação e lançar mão de outras “armas” para se manter (não diria se perpetuar, ainda) no poder da terra do cacique Capuã (tupinambá que liderou agrupamento indígena nestas terras em Sergipe Colonial).

Assim sendo, Gilson está se cercando de ex-prefeitos, lideranças políticas que, mesmo sem o cacife de disputar (e vencer) uma eleição para o executivo municipal, é melhor tê-los ao seu lado que enfrentá-los na condição de adversários. A última adesão ao projeto de Gilson foi o ex-vereador e ex-prefeito Natanael Mendes Moura, que com ele mantém ao lado do declaradíssimo pré-candidato a prefeito (não se pode dizer candidato por que a legislação eleitoral ainda não o permite), sua esposa (Ivete Moura), sua prima (Carmem Moura), seu filho (Sisinho Moura) e seu irmão (Daniel Moura), políticos que tiveram ou tem mandatos e razoável influência e peso político.

Pelo respeito que temos por Nataneal (e ele sabe da forma educada com que nós do Canal de São Sebastião tratamos os políticos da Ilha) fica difícil afirmar que ele assume uma Aspone (assessoria de porra nenhuma), mas sua presença na secretaria municipal de Desenvolvimento Econômico caminha neste sentido, uma vez que a principal intenção de Gilson é manter e acomodar o líder político de trajetória vitoriosa irretocável.

O fato é que, do ponto de vista da quantidade de lideranças políticas (e diríamos da qualidade), Gilson está bem arrumado, mas resta-se saber se a nova mentalidade política de Barra dos Coqueiros, a mesma que expurgou Airton Martins (PT) da tentativa de reeleger-se e que dificilmente o fará retornar a prefeitura, pois na sua cola estão o Luiz Roberto (Petrobás), preferido do coronel Marcelo Déda e o vereador Cláudio Caducha, de simpática aceitação popular, mas que nenhum deles detém a máquina partidária municipal.

O incrível é que o ex-prefeito Airton Martins lidera todas as pesquisas de opinião pública realizadas por grupos políticos de oposição e situação (este portal irá disponibilizar enquete nos próximos dias – aguardem e confiram), e isto tem tirado o sono dos que não vivem “sem mamar na vaca”. A sorte (ou azar) está lançada e Deus salve a Barra dos Coqueiros!

Montalvão: o jequitibá e os eucaliptos (que lhes criticam)

A sociedade barracoqueirense tem identificado o radialista-jornalista e advogado José Carlos Montalvão (PSB), apresentador do jornalístico “Hora da Verdade” que vai ao ar de segunda a sexta-feira, das 12 às 13 horas pela Comunitária Barra FM 104,9, de voz da oposição. A verdade é que o corajoso radialista, cuja papa quente não queimou sua língua, expressa aquilo que a maioria da população queria (e se sente sufocada) expressar. Pela sua condição de líder do PSB na ilha, do qual é seu presidente e de pontuar em sucessivas pesquisas como um dos mais fortes candidatos a prefeito sem nunca ter anunciado esta pretensão, foi escolhido para Cristo por um Blog que pela linha editorial mais parece o Diário Oficial da Barra dos Coqueiros. Como diz uma velha máxima, “não se atiram pedras em árvores que não dão fruto”, e o advogado Montalvão é uma destas árvores frondosas, como um jequitibá. Já os que o criticam, plagiando o educador Rubem Alves são come eucaliptos: “arvores sem vergonha que crescem enfileiradamente”, disse o mestre.

Fora do ar

O que era para ser um canal de prestação de contas das ações administrativas e financeiras da prefeitura de Barra dos Coqueiros, está fora do ar. Ao acessar o site http://www.barradoscoqueiros.se.gov.br nos deparamos com a seguinte mensagem: “Prezado internauta: o portal da Barra dos Coqueiros encontra-se em fase de reformulação”. Logo abaixo está o banner “Licitações Online e-Compras” que redirecionam para o canal: http://www.barradoscoqueiros.se.gov.br/e-compras. Um amigo que reside na sede do município nos informou: a prefeitura não precisa de site oficial pois já tem o blog:  http://tititibarradoscoqueiros.zip.net que cumpre muito bem este papel.

Ilha dos Blogs

Nenhuma cidade de Sergipe faz tão bem o uso da internet como a Barra dos Coqueiros. Além do Blog da Barra (http://barradoscoqueiros.zip.net), o mais acessado, segundo os instrumentos infalíveis de aferição, existem outros que cumprem, cada um a seu modo e a seu tempo, aos mais diversos interesses políticos, sociais e culturais. A rede conta, com os seguintes blogs, a saber: http://bocadabarra.zip.net, http://blogfigueiroa.blog.emsergipe.com, http://kleberresende.blogspot.com, http://tititibarradoscoqueiros.zip.net, http://givaldosilva2012.blogspot.com, http://robertobarradoscoqueiros.zip.net, http://oarroto-noticias.blogspot.com/ entre outros que juntos, integram a Barra dos Coqueiros através da Notícia. Cabe a inteligência os barracoqueirenses que residem em Sergipe e em ouros rincões do país e do mundo separar o joio do trigo.

A inelegibilidade de Gilson e Airton Martins

Inelegibilidade ronda o atual prefeito Gilson dos Anjos e o ex – Prefeito, Airton Martins. Segundo consta nos autos nº 2009.85.00.006538-5, em tramite na Primeira Vara Federal, da Seção Judiciária de Aracaju, o Prefeito Gilson dos Anjos e o ex – Prefeito, Airton Martins, foram condenados por improbidade administrativa, fato esse que merece a maior atenção dos assessores jurídicos das partes envolvidas. Da decisão que condenou o prefeito e o ex – prefeito a perda/suspensão dos direitos políticos ainda cabe recurso. (Blog da Barra)

Lei de Ficha Limpa

Por outro lado, a Lei de Ficha Limpa, Lei Complementar Federal nº 135/2010, não se aplica ao presente caso, uma vez que a condenação foi referente a improbidade administrativa, matéria já disciplinada na Lei Federal nº 8.429/92. Enfim, o atual quadro político não muda e, tanto Gilson, quanto Airton, podem ser candidatos.

O que de fato implica é que Airton Martins poderá ser questionado por seu Partido quanto a condenação sofrida, o que de certa forma, fortalece a candidatura do Vereador Caducha. (Blog da Barra).

_______________________________________

Por Claudomir Tavares (42) – Professor concursado da rede pública municipal em Pirambu, estadual em Propriá e do Pré-Universitário (SEED). Licenciado em História, com aperfeiçoamento e especialização em Gestão de Recursos Hídricos (todos pela UFS), especialização em Metodologia do Ensino Superior (Faculdade São Luiz de França) e Mestrando em Gestão Ambiental (Universidad San Carlos). Críticas e sugestões são valiosas: claudomir21@bol.com.br (79) 9917.0510!

Comente esta matéria | Clique aqui...

Voltar