ELDER MUNIZ: “O PT de Pirambu não irá abrir mão do espaço político conquistado no ultimo processo eleitoral”

28-03-2011 08:37

“Acreditamos que falta vontade política para mudar, o prefeito precisar ter mais iniciativa e ousadia”, avalia Elder Muniz

Dentro da nossa agenda de entrevistas, apresentamos nesta segunda uma feita com o estudante de Ciências Sociais na Universidade Federal de Sergipe (UFS), Elder Muniz, presidente municipal do PT em Pirambu. Nesta entrevista ele faz uma avaliação da auação da bancada petista na Câmara Municipal, faz uma avaliação da administração do prefeito Zé Nilton e sobre o encaminhamento das discussões em torno das eleições 2012. Mais adiante ele fala da influência dos Gagos em sua família, minimizando-a, da relação do partido com os movimentos sociais e da relação com os dissidentes na campanha de 2008.

Elder faz um balanço da participação do vereador Badinho na votação que deu voto contra o clamor dos professores e sua participação na eleição da Câmara Municipal. Nesse particular ele se contradiz, como quem age com dois pesos e duas medidas (sobre Sandro e Badinho). Ele não respondeu sobre a intervenção do partido em anos em que não se realiza eleições, os chamados “anos ímpares”. Confira na íntegra a Entrevista/questionário enviada no final de fevereiro e que nos foi devolvida no meio da semana passada.

Tribuna da Praia - Como o PT tem discutido a atuação de sua bancada na câmara de vereadores de Pirambu?

Elder Muniz - Nos relacionamos somente com um vereador do PT, Badinho. Sempre que podemos discutimos sua atuação parlamentar e propomos pautas que envolvam os interesses da população de Pirambu, respeitando a autonomia política do parlamentar. No que se refere ao vereador Sandro, ele não tem qualquer relação com o partido. Não freqüenta as reuniões e nem faz as contribuições partidárias obrigatórias, previstas no estatuto. O vereador é adepto da promiscuidade político-eleitoral, em poucos meses de legislatura pertenceu aos mais diversos grupos políticos do município. Por esta razão o PT instaurou um procedimento interno contra o mesmo, pedindo a sua expulsão do partido. Não podemos admitir que um indivíduo com este perfil permaneça usando o nome do PT.

O povo não tem perspectiva de futuro com esta administração 

Tribuna da Praia - Que avaliação o partido faz da administração do prefeito Zé Nilton na metade da sua gestão?

Elder Muniz - Nestes dois primeiros anos todos nós vimos que o prefeito Zé Nilton não tem o perfil administrado tão propalado por alguns. Nada mudou, a situação do município é a mesma. O prefeito não cumpriu metade das promessas feitas durante a campanha, o que tem provocado um elevado nível de insatisfação dos cidadãos, inclusive dos seus próprios aliados, pois já não sabem mais o que dizer para o povo. Acreditamos que falta vontade política para mudar, o prefeito precisar ter mais iniciativa e ousadia. Pirambu encontra-se num marasmo profundo. O povo não tem perspectiva de futuro com esta administração. Os mesmo erros do passado são cometidos no presente, o perfil político-ideológico desses administradores é semelhante, portanto é como se trocássemos “seis por meia dúzia”, como se diz popularmente.  Pirambu precisa de um projeto alternativo, de algo novo, alguém que de fato conheça a realidade do povo. Não podemos voltar ao passado, nem viver a decadência do presente, temos que sonhar com o futuro melhor para todos. Temos que acreditar na possibilidade de construirmos uma outra realidade para a nossa população.

Tribuna da Praia - Como os petistas se preparam para as eleições 2012? Terá o apoio do governador Deda e demais lideranças?

Elder Muniz - Temos discutido com o grupo sobre as eleições de 2012. O PT de Pirambu não irá abrir mão do espaço político conquistado no ultimo processo eleitoral. Temos bons nomes para a disputa, tanto proporcional, como majoritária e sabemos muito bem o que queremos. Na ultima eleição chegamos muito perto da vitória com o companheiro Vado. Vejo o PT como força política vanguardista em 2012 e sem dúvida iremos nos apresentar para o conjunto da população como alternativa para administrar o nosso município. Acreditamos e vamos lutar para ter o apoio do governador Marcelo Deda. Temos dialogado com outras lideranças estaduais do PT e acreditamos que podemos somar forças e sair fortalecidos internamente, além disso, nos relacionamos bem com boa parte das forças políticas mais progressistas da nossa cidade, o que aumenta a perspectiva de termos um bom bloco de partidos aliados em defesa do projeto que defendemos.

Nenhuma decisão do partido é tomada sem que consultemos o conjunto de filiados

Tribuna da Praia - Qual a influencia dos Gagos sobre a gestão que você preside?

Elder Muniz - A influência da Família Carvalho, liderada pelo Gago não ultrapassa os limites da influencia de nenhum outro filiado. Temos uma relação respeitosa e pessoalmente mantemos um bom nível de dialogo com boa parte deles, mas nada que interfira na autonomia do partido, muito menos nas nossas decisões. Nenhuma decisão do partido é tomada sem que consultemos o conjunto de filiados. O partido tem uma estrutura de funcionamento interno extremamente democrática, não permitindo que uma só pessoa ou um pequeno grupo imponha sua vontade individual, pois no final sempre prevaleçe a vontade de todos.

Tribuna da Praia - Como o partido e sua bancada tem intervido nos movimentos sociais? Que relação estabelece com estes?

Elder Muniz - O partido tem acompanhado e contribuído com os vários debates de interesse público no nosso município. Estivemos presentes na luta dos professores pela revisão do piso salarial, acompanhamos o processo de consolidação do assentamento São Sebastião em Alagamar, povoado em que temos vários companheiros, estamos na luta em defesa do Rio Japaratuba, lutando pela sua preservação junto com dezenas de outras pessoas, enfim. O partido tem atuado nas mais diversas frentes, sempre buscando defender os interesses do nosso município.

Tribuna da Praia - Que campo o PT demarca em anos impares (2011) e como pretende firmá-lo em 2012?

Elder Muniz - Não entendi bem esta pergunta, portanto decidi não respondê-la.

Tribuna da Praia - Como tem se dado a relação entre os dissidentes de 2008 (Gilvan, Teresa e Toinho)?

Elder Muniz - O partido sempre teve um bom dialogo com todos, nunca restringimos a participação de ninguém nos nossos espaços. Temos uma relação respeitosa com todos os filiados e não seria diferente com estes.

Fomos pegos de surpresa com o resultado que levou o vereador Juarez ao seu segundo mandato

Tribuna da Praia - O partido discutiu a eleição da câmara em que um vereador seguiu a orientação do prefeito Nilton, confirmando seu voto dado anteriormente contra os professores?

Elder Muniz - Lamentavelmente o partido não teve qualquer tipo de influencia na decisão do vereador Badinho, foi algo pensado de forma unilateral por ele, não tivemos participação neste processo. O nosso entendimento era que o PT deveria ter candidato a presidente da câmara, mas não houve tempo de amadurecermos esta idéia. Fomos pegos de surpresa com o resultado que levou o vereador Juarez ao seu segundo mandato. Consideramos equivocada a posição tomada pelo nosso vereador e discutimos sobre isto. No que diz respeito a votação das emendas ao plano de carreira do Magistério municipal, orientamos Badinho a votar pela aprovação, mas no seu entendimento as emendas geravam despesas para o município, logo seria inconstitucional. Por esta razão ele insistiu no voto contrário, se opondo a nossa posição.

Voltar