Conjunto Santo Antônio é retrato do caos em Propriá

15-05-2011 20:09

Núcleo habitacional está localizado entre a Fundação Bradesco e o Conjunto Maria do Carmo Alves, em Propriá 

Acionados pelo vereador Genival Moreira (PTC), visitamos no final da manhã da última sexta-feira, o conjunto habitacional Santo Antônio, núcleo populacional localizado entre os limites da Fundação Bradesco e o Conjunto Maria do Carmo (a “Rua da Delegacia” separa os dois conjuntos), na cidade ribeirinha de Propriá. Lá fomos recebidos pelo senhor Ivo Eval Nascimento, presidente da associação de moradores, que nos relatou um rosário de problemas enfrentados pelos que de forma subumana residem naquela comunidade. “Mas a comunidade resiste”, disse.

O conjunto Santo Antônio é composto por 130 residências das 150 previstas pelo Programa “Minha Casa, Minha Vida”, construídas de forma inconsistentes sobre o local onde há pouco mais de 10 anos era a lixeira da cidade de Propriá. “Nenhum serviço de abertura de ruas, saneamento básico, abastecimento de água, infra-estruturas básicas necessárias foram efetuadas, além disso, o posteamento da Energisa fora colocado de forma desordenada, estando alguns deles no meio da rua”, relata Ivo.

Segundo o vereador Genival Moreira, confirmado pelos moradores que nos acompanharam, “o carro coletor do lixo não entra no conjunto, pela impossibilidade de transitar em ruas enlamaçadas, pois se entrar atolam, pois o conjunto foi construído sobre o antigo lixão e o serviço de terraplenagem foi mal feito, deixando o terreno vulnerável, inclusive com casas rachando, conforme podem ser vistas”, relata. “A situação deste conjunto é vexatória”, completa o parlamentar.

Geno disse que a vereadora Rozélia da Ponte descreveu a construção das casas como sendo feitas com “seis carroçadas de areia mais um saco de cimento”, no que deixa as residências vulneráveis a fissuras, em função da infiltração, pois não há como drenar a água das chuvas e dos esgotos domésticos. “Aqui residem pessoas carentes, residimos há quatro anos no local, somos do cadastro único que devem ser contemplados com as casas, alguns invadiram, dois deles, devido o estado de abandono”, justifica Ivo.

“Nove casas já foram completamente destruídas. Nenhuma delas possui fossas sanitárias. Estamos vendo se conseguimos uma cópia do projeto junto a Caixa Econômica Federal, para entregar ao promotor de Justiça (um abaixo assinado já fora entregue), pois só assim, o Ministério Público poderia ter elementos para intervir na situação. Segundo o prefeito Paulo Britto, mais R$ 10 milhões serão investidos em rede de esgoto, no Maria do Carmo, Santo Antônio e no restante da cidade, só não sabemos quando”, informa o líder comunitário.

Outros problemas são elencados pelo presidente da associação. Ivo Nascimento disse que “agentes comunitários de saúde, agentes de endemias não visitam o conjunto. No Posto de Saúde do Conjunto Maria do Carmo, o Dr. Sandro não cumpre com a sua carga horária, e quando vem atende o pessoal muito mal”, denuncia. “Aqui estamos vulneráveis a um surto de dengue, de cólera, caramujos correm no meio da rua”, acrescenta apontando para os caracóis (foto).

O vereador Genival Moreira informou que recentemente participou de uma reunião em que estavam presente além dos presidentes das associações dos conjuntos Maria do Carmo, Santo Antônio, o secretário de Ação Social Eudes Guimarães, as vereadoras Joseane Alves, a Pel (PP), Lúcia de Vado (DEM), Rozélia da Ponte (PTC) e o vereador Costinha (PMDB). Segundo Geno, Eudes incentivou os moradores a se unir para lutar em defesa do benefício daquele conjunto, testemunhou o parlamentar.

Tentamos falar com o prefeito Paulo Britto (PT) para apresentar a versão da prefeitura sobre o caos vivido pela comunidade do conjunto Santo Antônio, mas o mesmo não foi encontrado na prefeitura para falar sobre a situação, Entretanto, este espaço está aberto aos seus assessores para prestar os esclarecimentos que o problema requer, inclusive sobre as soluções que a comunidade clama. Na próxima postagem, falaremos sobre os problemas vividos pela comunidade do Conjunto Maria do Carmo, visitado naquela manhã pela reportagem da Tribuna da Praia.

Texto e foto: Claudomir Tavares

Voltar