ALELUIA: Lurdinha caiu – Parte II (será?)!!!

30-05-2011 21:18

Como ela é mais resistente que Caixa Preta do Airbus da Air France, a única certeza que temos é que já não podemos ter certeza de nada

Fontes seguras (a maioria delas vindas de dentro da estrutura oficial) nos afirmam que desta vez é definitivo: a professora Maria de Lourdes Cardoso Gouveia, que proporcionou as maiores aberrações da história da educação em Pirambu, deixa nas próximas horas o comando da secretaria municipal da Educação. O estopim seria a concessão de uma licença para estudo a professora Dayse dos Anjos Dória Bonfim, filha do vereador Ivan Biriba Dória, que cursa Mestrado em Educação.

O argumento da secretária é que não existe na legislação municipal nada que ampare a licença de Dayse e, além disso, ela desempenha neste mesmo tempo funções técnico-pedagógicas na Diretoria Regional de Educação – DRE-04, em Japaratuba, quando classificada que foi em Processo Seletivo, deveria estar em sala de aula, algo que caracteriza proteção política.

Aqui não cabe avaliar se a função desempenhada pela professora Dayse Dória na DRE-04 é legal ou moral, algo que compete ao SINTESE ou quem sentir-se incomodado com a “proteção” reclamar nas instâncias competentes e pertinentes, mas um direito inalienável que a professora tem para se dedicar a Pós-Graduação Stricu-Sensu (Mestrado ou Doutorado).

Se o município de Pirambu não possui legislação que a ampare neste particular, existe farta legislação que legitime esta concessão da licença, uma vez que há jurisprudência e se o prefeito José Nilton de Souza (PMDB) garantiu este direito a Dayse, o fez sem infligir nenhuma lei contrária, devendo o mesmo conceder este direito a outros professores que da mesma forma que Dayse são mestrandos ou doutorandos.

No município vizinho de Japaratuba este direito já é uma conquista dos educadores há quase duas décadas, e Maria de Lourdes Cardoso Gouveia sabe muito bem disso pois passou pelo comando da secretaria de Educação daquele município, embora seu período é para ser esquecido pelo que ela patrocinou como gestora daquela pasta, algo cujas marcas ficam impressas nas carreiras daqueles educadores.

Entre as professoras Maria de Lourdes Cardoso Gouveia e Dayse dos Anjos Dória Bonfim existe, e é de domínio público, um ciúme indisfarçável da primeira com relação a segunda, uma vez que no mesmo período que ela teve sua gestão na educação avaliado pelos educadores como a pior de Sergipe (seria mais apropriado dizer do universo, da Via Láctea), enquanto Dayse foi a mais bem avaliada diretora da rede municipal, inclusive esteve cotadíssima para substituí-la, até “conselheiros” (???) terem demovido o prefeito da idéia de conduzir a chefia da pasta, para não ampliar os poderes do vereador Ivan junto ao prefeito (em outras palavras, os ciúmes falaram mais alto).

Se o prefeito José Nilton tem alguma influência neste fim do ciclo de Maria Cardoso, o faz a contra-gosto, mas atendendo ao critério político. Inimigo da educação pública municipal, declaradamente contra o progresso da educação e dos educadores, Zé concorda em gênero, número e grau com o modus operandi de sua pupila na educação, mas depende da sustentação parlamentar na Câmara Municipal.

Por mais que faça com o coração partido, choroso, Nilton terá que aceitar as ponderações da professora Lurdinha e conviver com a idéia de continuar administrando Pirambu sem os “conselhos” da secretária, mas marca com isso um gol no segundo tempo de um jogo que perde desde o primeiro minuto, quem sabe tendo a chance de se redimir do imbróglio que se auto-submeteu.

Em 2010 chegamos a anunciar em primeira mão, depois de receber um sms (torpedo) do nosso amigo Rafael Marinho (filho do prefeito José Nilton), secretário municipal de Saúde (a época a frente da secretaria municipal de Obras), dando conta da queda da secretária Lurdinha. “Ludrinha caiu”, nos informou Rafa e nós fizemos chegar esta informação aos nossos leitores nas primeiras horas do dia 05 de maio daquele ano.

A secretária, com informações privilegiadas da pasta que dirigia, e gozando do prestígio do prefeito, dos vereadores e dos demais secretários, se manteve no cargo, embora carregando a reação negativa de TODOS os professores da rede municipal, a exemplo da delegada de base do SINTESE, professora Vera Lúcia Santana, uma das  atuais assessoras mais próximos de Maria Cardoso.

De nossa parte não estamos em condições de acreditar (nem duvidar) da queda da professora Maria de Lourdes Cardoso Gouveia, pois esta tem se mostrado mais resistente que caixa-preta de Airbus da Air France e a única certeza que temos é que já não podemos ter certeza de nada. Ou seja: pode acontecer tudo, inclusive nada, pois Maria Cardoso é comprovadamente apegada a cargos e tem dificuldade de largá-los.

Assim, tivemos na manhã desta segunda-feira, 30, na sede da secretaria municipal de Educação para ouvir da mesma esta posição, mas diferente dos demais dias, esta não se encontrava na secretaria e a informação que obtivemos é que ela iria se reunir naquela tarde com todo o pessoal da SEMED (provavelmente para socializar esta informação e despedir-se do corpo de auxiliares – que já está pronto para prestar os mesmos “serviços” ao novo chefe): e aí, Dr. Nilton, Lurdinha cai ou não cai?

Comente esta matéria | Clique aqui...

Voltar