Parâmetros curriculares de Sociedade e Cultura [1]

06-04-2015 12:05

Apresentamos nossas ferramentas de trabalho para 2015 na Escola Municipal Mário Trindade Cruz


por Claudomir Tavares da Silva

O presente documento é o resultado de uma experiência de muitas mãos que o ajudaram a transformá-lo numa referência curricular em diversas cidades das diretorias regionais de educação de Japaratuba, Propriá, Itabaiana, Nossa Senhora das Dores e Gararu. Trata-se, portanto, de uma construção de muitas mãos que o faz chega à sua 10ª edição[2] edificada com a contribuição de colegas identificados com o ensino e difusão da sociedade, cultura e arte sergipana nas suas mais variadas vertentes.

A sua origem está no projeto do saudoso professor e pesquisador Luiz Antônio Barreto, que na condição de Secretário de Estado da Educação concebeu as disciplinas Sociedade e Cultura e Cultura Sergipana[3] a partir de 1998, contemplando dispositivos conferidos pela Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional – LDB, Lei Nº 9.394 de 20 de dezembro de 1996.

A nossa tarefa foi transformar alguns pilares básicos sugeridos pela Secretaria de Estado da Educação na primeira proposta de Sociedade e Cultura (e Cultura Sergipana) no âmbito da Diretoria Regional de Educação – DRE’ 04 (Japaratuba), a partir de uma experiência inicial no Colégio Estadual “José Amaral Lemos”, transferindo-a posteriormente para a Escola Municipal “Mário Trindade Cruz”, expandindo-a a partir de 2004 para a DRE’ 06 (Propriá), mais especificamente no Colégio Estadual “Joana de Freitas Barbosa”.

 

1. Sociedade & Cultura[4]:

Incluir disciplinas é uma prerrogativa legal dada às escolas brasileiras desde a Lei de Diretrizes e Bases anterior (Lei 5.692/71) e objetiva melhor inseri-las na comunidade mediante o atendimento as particularidades e necessidades culturais/ambientais dos seus alunos. Assim, desde a década de 70, assistimos a presença de diversas disciplinas como Programas de Saúde, Higiene e Saúde. Educação Ambiental, Educação para o Trânsito, etc.

Estimulada pela política educacional e cultural desenvolvida pela SEED (Secretaria de Estado da Educação), a maioria das escolas da rede incluiu as disciplinas Sociedade e Cultura (Ensino Fundamental), Cultura Sergipana (Ensino Médio) e Cultura e Artes (Educação de Jovens e Adultos) na parte diversificada dos seus currículos desde 1998.

Esse tipo de inclusão, desde a lei anterior, pressupõe uma discussão coletiva na escola. Professores, diretores, técnicos e mesmo os demais segmentos como pais e alunos, devem discutir a relevância de determinados conteúdos em razão das necessidades e particularidades da sua comunidade e, somente a partir daí, decidir quais os conteúdos e/ou disciplinas que mais se ajustem ao seu projeto pedagógico.

O tema da cultura encontra-se intimamente relacionado com a educação, uma vez que tratar qualquer conteúdo de ensino jê é, em si mesmo, tratar da cultura produzida e acumulada pela comunidade. Ao longo da sua história, a escola brasileira pouco abriu espaço para as manifestações culturais presentes nas comunidades que estavam inseridas.

Comparando a escola do passado com a do presente, se tem a impressão de que ambas falharam; a primeira por tentar sufocar os próprios referenciais culturais do aluno, enquanto integrante do povo sergipano, e a segunda por privilegiar o conhecimento erudito, fez da cultura popular algo pitoresco, episódico, folclórico no sentido pejorativo que é imputado ao termo.

Este Programa apresentado em formas de Planos de Ensino tem o propósito de promover o estudo e a difusão da cultura em nossa escola, de forma a possibilitar contribuir e fazer com que nos apropriermos dos elementos da cultura, especificamente a popular, assumindo-os como parte de nossa existência, sem descartar outros elementos da cultura, nos seus mais diversos aspectos e elementos.

 

2. Planos de Ensino

O conjunto de Planos de Ensino que reapresentaremos a seguir trata-se de uma proposta que, na Escola Municipal “Mário Trindade Cruz”, está entrando em sua quarta etapa (apresentamos em 2009, 2010, 2012 e estamos fazendo em 2015) que estamos operando as mudanças, que serão processadas gradualmente, de forma a contemplar cada série à medida que eles forem avançando.

Assim, iremos atualizá-lo, com pequenas alterações, que contemplem a dinâmica natural do processo de repensar as ações pedagógicas, a proposta para o 6º Ano (antiga 5ª Série) do Ensino Fundamental, a partir da última revisão operada em 2012 para a 6ª Série (atual 7º Ano) e, neste ano, iremos refazer os ajustes referentes ao 7º Ano (antiga 6ª Série) em diante, ou seja até o 9º Ano (antiga 8ª Série).

Os planos referentes a 7ª e 8ª Séries deveriam ter sido atualizados a partir de 2011, mas conforme explicamos acima, deixaram de ser efetuados, sendo mantidos em sua essência, logo, serão operados paulatinamente. Assim, ao termino deste ano letivo, teremos cumprido esta etapa, agora inadiável, já ampliada com a inclusão de uma proposta pedagógica para a Educação de Jovens e Adultos, concluído a Proposta Curricular para o Ensino de Sociedade e Cultura e Cultura e Artes para a instituição.

É uma proposta em construção, sempre aberta as contribuições dos vários atores sociais que integram a instituição: direção, coordenação, professores, estudantes, funcionários e pais de alunos, uma vez que ela não se propõe apenas como um objeto norteador do processo ensino-aprendizagem, mas um instrumento de controle social da comunidade escolar.

Ela será aplicada, preferencialmente, no Ensino Fundamental, nos 6º, 7º, 8º e 9º anos, e extensivamente na Educação de Jovens e Adultos (EJA), a partir de um diagnóstico acumulado em 2013  e 2013 e conforme fizemos naqueles anos, também nas primeiras semanas de sua aplicação nas respectivas turmas.



[1] Resumo do trabalho apresentado pelo professor Claudomir Tavares da Silva no II Colóquio Internacional de Políticas e Práticas Curriculares: Impasses, Tendências e Perspectivas, realizado no período de 13 a 16 de Novembro de 2005, na Universidade Federal da Paraíba (Centro de Educação – Campus I – João Pessoa – PB – Brasil) – Adaptado.

[2] 8ª Edição Revisada, Ampliada e Atualizada: 1ª Edição: 1998, 2ª Edição: 1999, 3ª Edição: 2000, 4ª Edição: 2001, 5ª Edição: 2003, 6ª Edição: 2004, 7ª Edição: 2009, 8ª Edição: 2010, 9ª Edição: 2012 e 10ª Edição: 2015.

[3] Sociedade e Cultura (disciplina da grade curricular para a 5ª a 8ª séries/6º ao 9º anos do Ensino Fundamental) e Cultura Sergipana (disciplina prevista para a 3ª série do Ensino Médio), retirada do currículo a partir de 2012 na rede estadual, para permitir o avanço de Filosofia e Sociologia no 3º Seriado do Ensino Médio.

[4] Texto transcrito do livro “Sociedade e Cultura & Cultura Sergipana: parâmetros curriculares e textos”, de autoria de Tereza Cristina Cerqueira da Graça, Josefa Eliana Souza e Manoel Luiz Cerqueira Filho


  • Ensino Fundamental 5ª Série | 6ª Série | 7ª Série | 8ª Série
  • Educação de Jovens e Adultos 5ª Série | 6ª Série | 7ª Série | 8ª Série